22.11.17

NISA: Estudantes de Medicina em acções no concelho


OPINIÃO: A ilusão mais perigosa

Marcelo Rebelo de Sousa comentava ontem, acerca da polémica contagem do tempo de serviço dos professores, a existência de duas ilusões. A primeira é achar que podemos voltar ao ponto antes da crise, e a segunda é achar que se pode olhar para os tempos pós-crise como se ela não tivesse existido.
As proposições são inegáveis, mas não pelas razões que habitam o subtexto das declarações do presidente. O que está subentendido é a ideia de que o país se deve contentar com outros (leia-se, menos) direitos, e devemos acautelar os excessos (leia-se, de direitos) que nos trouxeram à crise.
Ainda que de forma menos rebuscada, esta foi precisamente a tese deixada por Mário Centeno no Parlamento. O ministro das Finanças colocou o ónus da crise no descontrolo orçamental do passado, o ónus da mudança política no descontentamento dos portugueses face ao incumprimento das metas do défice pela Direita, e terminou dizendo que - apesar dos trabalhadores da Administração Pública merecerem estes direitos - o país aprendeu da forma mais difícil nos últimos anos "que temos todos que saber merecer".
Com mais ou menos subtilezas, tanto o presidente como o ministro das Finanças validam a retórica que justificou a austeridade imposta por PSD e CDS, com a inestimável ajuda da troika. Uma retórica que quis e, em certa medida, conseguiu transformar uma crise que, antes de mais, foi financeira, num suposto banquete de irresponsabilidade orçamental. Uma retórica que quis e, em certa medida, conseguiu convencer o país que os nossos problemas estruturais não eram os baixos salários, as baixas qualificações, a pobreza e as desigualdades, uma elite empresarial rentista e incapaz, mas sim o excessivo protecionismo do código laboral, dos "privilégios" dos funcionários públicos e da "rigidez" da economia, pouco liberalizada.
Podemos discutir a (pouca) qualidade dos défices passados, mas não foram eles que nos trouxeram a crise. Foi a crise que afundou as contas públicas. E não foi o excesso de direitos que nos tramou. Foi a austeridade e a terraplanagem do contrato social - inclusive com os funcionários públicos, bodes expiatórios por excelência - que afundou a economia.
Em 2017, o Estado português gastou mais em saúde e educação do que nos mínimos de 2015, mas, ainda assim, menos do que no início da década. Não é limitando o tão necessário investimento na saúde ou na escola pública que se impede uma nova crise. Nem é pondo em causa os direitos dos funcionários públicos, ou recusando alterações laborais que combatam a precariedade.
A não ser que seja politicamente provocada pelas instituições europeias, a nova crise, como a velha, será financeira. Dizer às pessoas que ela pode chegar por "embriaguez" de direitos é espalhar a ilusão mais perigosa de todas: a de que a culpa é sempre nossa, mesmo que o sistema financeiro viva como antes da crise e como se ela nunca tivesse existido.

Mariana Mortágua in “Jornal de Notícias” – 21/11/2017

IMPRENSA REGIONAL: "Alto Alentejo" - 22/11/2017


Valnor promoveu workshop "Alimentação saudável e sustentável"

Durante a Semana Europeia da Prevenção de Resíduos, a VALNOR tem vindo a realizar algumas ações de sensibilização ambiental, por forma a assinalar a data, bem como sensibilizar a população para a prevenção, redução, reutilização e reciclagem dos resíduos.
Integrado na comemoração e em parceria com a Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre, realizou-se no passado dia 20 de Novembro, o workshop “Alimentação Saudável e Sustentável”.
Esta ação desenvolveu-se nas instalações da escola e teve como público-alvo aos seus alunos.
O workshop iniciou com uma sessão teórica, realizada pela nutricionista Vera Ruivo Dias, que falou acerca dos benefícios de uma alimentação saudável, consumo de produtos de Agricultura Sustentável, caracterização do desperdício alimentar, impacto do desperdício alimentar e estratégias de minimização do desperdício alimentar (com exemplos de refeições económicas e saudáveis e dicas de aproveitamento de sobras).
Posteriormente seguiu-se para a cozinha, onde o Chef João Mourato ensinou algumas dicas de aproveitamentos de sobras, tendo cozinhado alguns pratos, entre eles um biriany de legumes.

Crato vai receber a XII edição do NAOM

O Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos organiza o Norte Alentejano O ' Meeting, com o apoio do Municipio do Crato e da Federação Portuguesa de Orientação, levando o evento pela 4ª vez ao Concelho do Crato e continuando a apostar na Orientação no distrito de Portalegre.
O Norte Alentejano "O" Meeting, é um evento de orientação pedestre, aberto à participação de pessoas de qualquer idade, seja em escalões de competição, aberta ou principiantes, individualmente ou em grupo.
O evento está incluído no calendário: da  Federação Portuguesa de Orientação, com as etapas de distância Média a fazerem parte da Taça de Portugal de Orientação pedestre.
O Norte Alentejano "O" Meeting será constituído pelas seguintes eventos:
• 13 de Janeiro 2018 - Distância Média
• 13 de Janeiro 2018 - Sprint noturno 
• 14 de Janeiro 2018 - Distância Média
O vencedor do Norte Alentejano "O" Meeting será encontrado através da soma dos tempos das duas provas de distância média.

Ricardo Ribeiro e Quarteto ARTEMSAX são os vencedores do Prémio Carlos Paredes 2017

Ricardo Ribeiro e Quarteto ArtemSax vencem Prémio Carlos Paredes, cuja cerimónia de entrega terá lugar no dia 23, na Sociedade Filarmónica Recreio Alverquense (Alverca)
O Prémio Carlos Paredes, promovido pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, vai ser entregue, pelas 21:30, do dia 23 de Novembro (5.ª Feira), na Sociedade Filarmónica Recreio Alverquense (Alverca), numa cerimónia pública que contará com a actuação dos vencedores ex-aequo de 2017.
Ricardo Ribeiro e o Quarteto ARTEMSAX Lino Guerreiro venceram o Prémio deste ano, com as obras “Hoje é assim, amanhã não sei” e “Projecto Michel Giacometti”, de entre um total de 26 obras a concurso (trabalhos discográficos editados em 2016).
O Prémio Carlos Paredes é promovido pela Autarquia desde 2003.
O Júri deste ano foi constituído por José Jorge Letria (representante da Câmara Municipal), Pedro Campos (compositor e músico), Ruben de Carvalho (crítico musical) e Carlos Alberto Moniz (compositor e músico, representante da Sociedade Portuguesa de Autores).
Na apreciação dos trabalhos, o Júri considerou que os dois projectos vencedores, sendo estruturalmente diferentes, representam o que de melhor se faz actualmente e de forma complementar, por um lado no fado tradicional, e por outro na música tradicional, reinventada com um estilo único.
A entrada é livre, sujeita à lotação da sala.
Zita Ferreira Braga in www. hardmusica.pt

PORTALEGRE: Santa Casa da Misericórdia inaugura Auditório José Martins Elias

Instituição homenageia antigo benemérito da Instituição
A Santa da Misericórdia de Portalegre vai realizar, no dia 24 de novembro pelas 10h30, a cerimónia de inauguração do seu Auditório que terá o nome de José Martins Elias, numa homenagem ao antigo benemérito da Instituição.
O Auditório José Martins Elias tem capacidade para 70 pessoas e está equipado com mobiliário moderno e todos os meios técnicos que lhe permite ser um espaço privilegiado para realização de eventos, conferências, seminários, concertos, recitais, ações de formação etc.
Este equipamento que promete dinamizar a vida cultural e empresarial da cidade, resultou do investimento realizado no âmbito da obra de ampliação e remodelação do edifício sede da Santa Casa de Portalegre que foi realizada entre 2012  e 2015 e financiada pela medida 6.12 do POPH.
No dia da inauguração será ainda homenageado um antigo utente da Instituição - Joaquim Ceia, através  de uma pequena exposição de Pintura da sua autoria.
Para João José Mousinho Serrote, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre, “É com muita honra e satisfação que realizamos esta cerimónia. O Sr. José Martins Elias foi um grande amigo desta casa e por isso lhe fazemos esta significativa homenagem, reconhecendo, mais uma vez, a generosidade e apoio que deu à Santa Casa da Misericórdia de Portalegre, pretendemos perpetuar a sua memória, atribuindo o seu nome ao nosso auditório. Além disso, esta inauguração vai permitir abrir o espaço do auditório à comunidade, o que nos dá uma enorme alegria porque a partir de agora a população, o tecido empresarial e cultural da região vai poder tirar partido deste moderno equipamento.
Breve biografia
José Martins Elias - Lavrador e Benemérito
Natural da Freguesia da Urra, concelho de Portalegre, onde nasceu em 1859, José Martins Elias, apesar da sua origem humilde e de não ter tido instrução escolar, pelo seu esforço abnegado ao trabalho e pela sua boa orientação, acumulou ao longo da sua vida um apreciável património em propriedades agrícolas e urbanas, que legou aos seus descendentes.
Durante toda a sua existência, contribuiu generosa e decisivamente de várias formas para que algumas instituições de assistência, sempre carentes de meios e recursos, pudessem prosseguir a sua actividade social e assistencial. De entre essas instituições, a Santa Casa da Misericórdia, que geria o único Hospital do Concelho com as grandes dificuldades inerentes à época, foi a que mais beneficiou da benemerência de José Martins Elias, a ponto de, em 1934, lhe ser feita uma justa e pública homenagem, através da perpetuação do seu nome gravado numa placa de mármore, colocada em lugar de destaque no Hospital.
O legado de José Martins Elias mais do que as doações que fez em vida, foi ter transmitido esse espírito altruísta e benemérito aos seus filhos, que continuaram e ampliaram a obra deixada por seu pai.
Morreu na sua terra em 1933, contava 74 anos de idade.

21.11.17

Leituras e Memórias - Biblioteca ao Encontro das IPSS do concelho


OPINIÃO: O salário mínimo dos patrões

Que em Portugal se ganha mal, é uma evidência. E não é de agora. A constatação não é nossa, vem de cima. A Comissão Europeia alertou há dias: a criação de emprego está a ser feita à custa de baixos salários e de baixa qualificação. Uma situação que deve ser alterada pela competitividade do país. No entanto, o debate entre patrões e representantes dos sindicatos revela como continua sensível a questão dos salários em Portugal, o país que atingiu o défice mais baixo da democracia e tem na pasta das Finanças alguém classificado como um Ronaldo pelos congéneres europeus. Dos números, entenda-se.
Com a Concertação Social à porta, a Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), pela voz do seu presidente, António Saraiva, deixa claro até onde está disposta a ir, e as condições. A subida do salário mínimo, afirma, é uma medida justíssima. Ninguém entenderia outro ponto de vista, como poucos entenderão, de boa-fé, como é possível viver dignamente com 557 euros por mês. O aumento é justo... mas as condições são muitas e quase a raiar a chantagem. Ou seja: aumento, sim, desde que os patrões sejam compensados. Custo para a empresa, nem pensar.
O salário mínimo figura na agenda da próxima reunião da Concertação Social, marcada para sexta-feira. Os patrões chegam à discussão com um aliado de peso. Vieira da Silva travou os ímpetos dos aliados à esquerda: "Muitas empresas teriam muitas dificuldades para pagar mais do que 580 euros", assegura o ministro. Fica, pois, difícil perceber como irá o Governo de António Costa cumprir o acordo de ter o salário mínimo nos 600 euros até ao fim da legislatura. Ou, dito de outra forma, o que dará em troca aos patrões, se de facto está disposto a cumprir a palavra.
2 A Web Summit acabou. Portugal dividiu-se entre os apaixonados e os indiferentes, estes apelidados, por muitos, de parolos. Sim, parolice não faltou. Que diria Pessoa se ouvisse os altos dignitários da nação, presentes na conferência, traçando rasgados elogios às centenas de empreendedores que arribaram a Lisboa? Consideraria, certamente, que faziam o papel de bons anfitriões. Decerto não compreenderia a atitude do presidente da República e do primeiro-ministro de falarem aos seus convidados numa língua estrangeira. "A minha pátria é a língua portuguesa", escreveu um dia o poeta. A nossa língua é mais do que isso - é um instrumento de soberania cada vez menos utilizado por quem tem a responsabilidade primeira de defendê-la.
Paula Ferreira in "Jornal de Notícias" - 21/11/2017

Noite Solidária em Póvoa e Meadas a favor das vítimas dos incêndios

A Junta de Freguesia de Póvoa e Meadas organiza no próximo sábado dia 25 de Novembro uma Noite Solidária, a partir das 21:30 horas no Salão Paroquial. Atuarão os grupos de Concertinas Sons da Serra e As Pedrinhas de Arronches. As receitas destinam-se às vítimas dos incêndios de 2017.
“Vamos todos ser solidários com a Freguesia de Lourosa - Oliveira do Hospital, que foi vítima dos incêndios do passado mês de Outubro”. 

20.11.17

Poluição no Tejo gera queixa-crime e denúncia à Comissão Europeia

A poluição no Tejo vai ser denunciada à Comissão Europeia pelo proTEJO, movimento ambientalista que exigiu hoje medidas urgentes por parte da tutela e anunciou a apresentação de uma queixa-crime pelos danos ambientais e problemas de saúde pública.
Em declarações à Lusa, Paulo Constantino, porta-voz do Movimento proTEJO, disse que as decisões anunciadas derivam de uma reunião de trabalho que decorreu no domingo, tendo sido decidido "apresentar uma denúncia à Comissão Europeia, uma vez que o ministro do Ambiente português não dá resposta nem intervém com medidas eficazes para acabar com as descargas poluentes, levar uma petição ao Parlamento Europeu e apresentar uma queixa-crime à Procuradoria-Geral da República por crime ambiental e grave problema de saúde pública por extrema poluição do Rio Tejo".
Com sede em Vila Nova da Barquinha, distrito de Santarém, o proTEJO deliberou ainda intervir junto da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para que esta "reveja imediatamente a licença de utilização de recursos hídricos - rejeição de efluentes da fábrica da Celtejo", em Vila Velha de Rodão, "estipulando um nível de produção que não exceda a capacidade de processamento de efluentes da atual ETAR e defina valores limites de emissão (VLE) que garantam o objetivo de alcançar o bom estado ecológico (...) das massas de água".
"É imperioso que a Celtejo e a APA adotem as ações de prevenção e as ações de reparação de danos ambientais que se justifiquem nos termos da diretiva comunitária e da lei interna de responsabilidade ambiental", defendeu Paulo Constantino, exigindo que as autoridades portuguesas "intervenham de forma eficaz e definitiva, tendo em vista a inequívoca identificação dos focos de poluição que originaram a mortandade de peixes a 02 de novembro".
O ambientalista criticou ainda as "declarações de lamúria e negação" do ministro da tutela, João Matos Fernandes.
"Quando este reconheceu publicamente que os resultados ficaram aquém do esperado, o que devia era resolver a situação e usar a legislação como instrumento para resolver de vez estes problemas de extrema poluição, não se refugiando em declarações de lamúria e negação", afirmou.
Segundo o ambientalista, "não o fazendo de forma eficaz [referindo-se ao ministro do Ambiente] não nos resta outra alternativa que não seja recorrer às instâncias europeias para que estas medidas sejam tomadas", tendo rejeitado, no entanto, pedir a demissão de João Matos Fernandes.
"Não pedimos a demissão do ministro porque tem focado a sua atenção no Tejo e nos seus problemas e entendemos que ainda pode agir sobre a verdadeira origem de poluição no rio, começando desde logo pela revisão da licença da Celtejo, em Vila Velha de Rodão", defendeu, tendo referido que "outra manifestação pública pode ser convocada se persistirem os episódios graves de poluição no rio".
Na reunião de domingo, o Movimento proTEJO decidiu ainda desenvolver ações de sensibilização nas escolas para a promoção de projetos de educação ambiental sobre os problemas do rio Tejo e seus afluentes e a programação de uma conferência denominada "Os caudais ecológicos e o estado ecológico da água na Convenção de Albufeira", a realizar em 2018.
No próximo ano, o proTEJO vai ainda promover mais uma edição da atividade 'Vogar contra a Indiferença', com "um percurso de lazer entre Vila Velha de Ródão e as portas de Ródão" de modo a "promover um convívio de 'fluviofelicidade'" entre os participantes e "permitir a observação dos pontos de origem da poluição", em frente ao Cais Fluvial de Vila Velha de Ródão".
in www.24.sapo.pt 20/11/2017

MONTALVÃO: "D´Azeitona ao Azeite" iniciativa da Associação "Vamos à Vila"

"D'AZEITONA AO AZEITE" é a próxima iniciativa da Associação Vamos à Vila, a realizar no dia 16 de Dezembro de 2017 na antiga Escola Primária de Montalvão.
O evento realiza-se no âmbito do ciclo “A Alimentação Tradicional” que a associação irá organizando e que pretende realçar a importância do azeite, que foi, é e será um elemento importante no património montalvanense e está inserido na Dieta Mediterrânica, incluída na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade.

NÃO FALTE E DIVULGUE!

19.11.17

Os Verdes apresentam projeto de resolução para salvar Robinson

Conferência de imprensa na 2ªfeira, 20 de Novembro na Assembleia da República
O Partido Ecologista Os Verdes vem convidar os orgãos de comunicação social e os senhores e senhoras jornalistas, para uma Conferência de Imprensa, que terá lugar no póxima segunda feira dia 20 de Novembro, pelas 17h, junto ao portão principal da Fabrica Robinson em Portalegre.
 Esta Conferência visa dar a conhecer mais uma iniciativa desenvolvida pelos  Os Verdes para Salvar o Património Corticeiro da Robinson.
O Projeto de Resolução que recomenda ao Governo a salvaguarda da Robinson, agora apresentado pelo PEV  e cujo conteúdo será revelado na Conferência de Imprensa,  será debatido no Plenário da Assembleia da República, em conjunto com a PETIÇÃO SALVEM A ROBINSON- PATRIMÓNIO INDUSTRIAL CORTICEIRO, na terça feira dia 28 de Novembro.
Os Verdes convidam desde já , os senhores e senhoras jornalistas para a conferência de imprensa da próxima terça-feira, que conta com a presença da dirigente nacional do PEV, Manuela Cunha e com a representante do PEV eleita pela CDU na Assembleia Municipal  de Portalegre, Rosário Narciso.
Convidamos também os senhores jornalistas a assistirem ao debate do referido Projeto de Resolução, no proximo dia 28 de novembro, a partir das 15 h, na Assembleia da República.

O Grupo Parlamentar “Os Verdes”

SANTANA: Inauguração do PR9 "Trilho da Mina de Ouro do Conhal"


“Olhares Cruzados” dos Doentes Oncológicos de Portalegre


Um evento muito singular vai ter lugar na cidade de Portalegre, sábado 25 de Novembro.
Trata-se do encontro ”Olhares Cruzados” que visa reunir e ter em conta Experiências Partilhadas dos utentes da Unidade de Oncologia Médica (UOM) do Hospital Doutor José Maria Grande – Portalegre, uma unidade da ULSNA.
Com início marcado pelas 09.00 horas, tem palco agendado no auditório da ESTG – Escola Superior de Tecnologia e Gestão (sita na estrada para Estremoz, junto da Zona Industrial de Portalegre).
A sessão de abertura inclui um momento musical.
Segue-se uma parte denominada “Mitos e Impactos” que se debruçará sobre a nutrição na pessoa oncológica. Ainda de manhã actuará o grupo de cante alentejano “Os Lagóias”; haverá relatos “testemunhando a vida”; será apresentada a exposição “Uma carta, uma partilha”, bem como se destacam os espaços para workshops diversos.
Já de tarde, os destaques vão para a Acupuntura; o “Desconstruir e Construir” - o impacto da Imagem - com sessões de maquilhagem; o “Momento Zen” em que não faltarão actrações como Yoga, técnicas de relaxamento, aromaterapia e concerto com taças tibetanas.
O encerramento,pelas 17.00 horas, vai contar com a presença do Grupo CAEP Voices cuja actuação visa Celebrar a Vida.
O encontro destina-se aos utentes oncológicos e as inscrições são aceites na UOM do Hospital de Portalegre, sita no piso 7, e onde poderão ser obtidas mais informações.

18.11.17

MONTE CLARO (Nisa): 4ª Caminhada "Pais, Filhos e Netos"


CASTELO DE VIDE: Circuito de Pista AADP está de regresso

O circuito de pista da AADP está de regresso, com a realização do torneio de abertura na Vila de Castelo de Vide.
A Associação de Atletismo do Distrito de Portalegre, irá iniciar a sua época competitiva de pista, dia 25 de Novembro de 2017, pelas 14 horas no estádio Municipal de Castelo de Vide, naquela que foi a primeira pista de atletismo do panorama do atletismo distrital, construída no longínquo ano de 1999.
O torneio de Abertura da AADP, irá iniciar as hostilidades no que diz respeito a competição de pista e realiza-se em parceria com o Município de Castelo de Vide, que
ao longo dos anos, tem sido um parceiro de excelência da Associação de Atletismo de
Portalegre.
O torneio irá contar com corridas não competitivas de 60 metros e kids Athletic para os mais jovens, salto em altura e comprimento a partir do escalão de iniciados entre outras provas que poderás consultar no regulamento competitivo disponível em aadp.pt.
Contará também com uma prova de estafetas, em que as equipas podem ser constituídas por atletas do escalão de Juniores a veteranos, num claro piscar de olho do novo responsável técnico aos atletas dos escalões menos jovens, que nos últimos anos têm andado arredados das pistas e que conferem um brilho especial a todas as competições onde participam, gerando uma convivência multigeracional, muito interessante de observar.
As inscrições terminam dia 22 de Novembro, pelas 18 horas e são gratuitas para todos
os atletas filiados na AADP.
De acordo com o regulamento da competição, qualquer inscrição fora do prazo estabelecido poderá acarretar custos acrescidos.
Poderás fazer a inscrição na prova, em formulário destinado a esse efeito disponível em
aadp.pt.
Junta-te à AADP e ao Município de Castelo de Vide e vem fazer a festa do atletismo, contamos com a tua presença.

17.11.17

AMIEIRA DO TEJO: Grande Noite de Fados


Alunos do IPP ganham Prémio Jovem Cineasta no Cinanima 2017

João Monteiro, Luís Vital e Ricardo Livramento, alunos da licenciatura em Design e Animação Multimédia, autores da curta metragem "A viagem", são os vencedores do Festival Cinanima 2017 na categoria Jovem Cineasta. Este prémio é o mais importante galardão nacional na área do cinema de animação outorgado a primeiros filmes ou filmes de fim de estudos e este ano foi atribuído ex aequo com a curta-metragem “O Desempregato” de Sara Marques e André Matos. Este triunfo dos alunos do nosso IPP é motivo de enorme orgulho e um reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvido.
"A viagem" é um relato introspetivo da vida problemática de um jovem adulto. Uma viagem feita através das memórias do protagonista. Esta curta-metragem, realizada no segundo ano da licenciatura no âmbito da Unidade Curricular Projecto de Animação, tinha ganho recentemente o Prémio Nacional de Animação atribuído pela Casa da Animação. A esse prémio soma-se agora o do prestigiado Cinanima, o maior e mais antigo festival de animação organizado em Portugal e o terceiro mais antigo em todo o mundo.
Estão de parabéns os alunos pela sua criatividade e imaginação, e pelo enorme esforço que supõe a realização de um trabalho desta qualidade. Estão também de parabéns todos os que têm contribuído, com dedicação e entusiasmo, para o crescimento da licenciatura em Design e Animação Multimédia, e para que a excelência agora reconhecida seja uma realidade quotidiana.
Resultados da 41ª Edição do CINANIMA:
http://cinanima.pt/animacao-romena-vence-na-41aedicao-do-cinanima 
 Teaser:  https://vimeo.com/224676862?ref=fb-share&1


16.11.17

IMPRENSA REGIONAL: "Alto Alentejo" - 15/11/2017


BOLINA - 2º Festival Internacional de Palhaças em Castelo de Vide


SOUSEL: 3 detidos por tráfico de estupefacientes e 7 quilos de cannabis apreendidos

O Comando Territorial de Portalegre, através do Posto Territorial de Sousel e do Núcleo de Investigação Criminal de Ponte de Sor, ontem, dia 15 de novembro, deteve dois homens de 42 e 45 anos e uma mulher de 31 anos por tráfico de estupefacientes, na localidade de Sousel.
No decorrer de um patrulhamento foi avistado, no quintal de uma habitação, uma plantação que se suspeitou ser de cannabis. Após as diligências iniciais e um mês de investigação, foram efetuadas duas buscas domiciliárias culminando na apreensão de:
·         Sete quilos cannabis, cerca de 2 800 doses;
·         Uma arma transformada;
·         42 munições;
·         Uma estufa artesanal para o cultivo de plantas de cannabis;
·         Duas balanças de precisão;
·         Seis telemóveis.
No decurso da operação foram ainda elaborados cincos autos de contraordenação por infrações relacionadas com animais de companhia e por detenção de animais perigosos e potencialmente perigosos.
Os detidos, um deles com antecedentes criminais por violência doméstica e ameaças, foram constituídos arguidos e sujeitos a termo de identidade e residência.

USNA: "Greve dos professores com impacto também no distrito de Portalegre"

O descontentamento dos professores foi hoje visível em todo o país.
Milhares de professores em greve, vários do distrito de Portalegre, concentraram-se em Lisboa, frente à Assembleia da República, protestando contra a discriminação de que estão a ser alvo no processo de descongelamento das carreiras da administração pública.
No distrito de Portalegre a adesão à greve foi de 100% em 10 escolas: 1º CEB de Alter do Chão, JI da Esperança em Arronches, JI da Boa Fé, 1º CEB e JI de Alcáçovas em Elvas, 1º CEB/ JI de Castelo de Vide, EB J.P. Andrade e 1º CEB de Longomel em Ponte de Sôr, EB1 Assumar e EB1 Vaiamonte em Monforte. Em muitas outras registou-se uma adesão superior a 50%: EBI/JI Stº António das Areias em Marvão, ES D.Sancho II em Elvas, 1º CEB da Boa Fé em Elvas e Agrupamento de Ponte de Sôr. Além do impacto bem visível nestas escolas em várias outras houve professores em greve: EB 2,3 N.S. Luz em Arronches, ES S. Lourenço em Portalegre, EB 2,3 da Boa Fé em Elvas, Agrupamento de Fronteira, Agrupamento de Nisa, EB de Monforte e EB 2,3 de Avis.
A luta dos professores teve resultado imediato, já que, durante o debate na Assembleia da República, a Secretária de Estado da Educação anunciou que irá negociar com os sindicatos o processo de descongelamento das carreiras dos professores.
Portalegre, 2017-11-15
O Depº de Informação da USNA/cgtp-in

IMPRENSA REGIONAL: "Fonte Nova" - 14/11/2017


15.11.17

MEMÓRIA: Alunos da Escola de Amieira do Tejo

A foto foi publicada na edição nº 179 do "Jornal de Nisa" na secção "MODUS VIVENDI"
Foto de alunos de Amieira do Tejo, tirada no primeiro quartel do século XX. De pé: António Ribeiro Alves, José Velez Metelo, João de Matos Pereira Rico, João Valério, António Francisco Constâncio (pai do Governador do Banco de Portugal, dr. Vítor Constâncio), e Manuel Alves Martins.
Sentados: António de Sena Lino, Manuel Severino Barata, Luís Dias Semedo, António Pires Migueis, Henrique Pereira Lopes e João Rodrigues Vieira de Sena.
Com a cortesia da senhora D. Belmira Vieira, a quem agradecemos.

José Serra expõe no Hospital Distrital da Figueira da Foz







O artista nisense José Maria Reisinho Serra tem patente ao público desde 13 de Novembro, na galeria do Hospital Distrital da Figueira da Foz, uma Exposição individual de pintura que integra algumas das suas obras mais representativas.
A exposição pode ser visitada até ao dia 2 de Janeiro.

O melhor da gastronomia alentejana na "Cozinha dos Ganhões" em Estremoz

Programa da Cozinha dos Ganhões 2017
QUINTA – 30 DE NOVEMBRO
18:00 – Cerimónia de inauguração da 25.ª Cozinha dos Ganhões
19:00 – Inauguração e visita à Feira da Caça, Pesca e Atividades na Natureza
21:30 – Noite de Fados, com António Pinto Basto, Matilde Cid e Silvino Sardo, acompanhados pelos músicos Dinis Lavos (guitarra), Mário Estorninho (viola) e Gustavo (viola baixo).
23:30 – Discoteca e bares (Pavilhão A)
SEXTA – 1 DE DEZEMBRO (FERIADO)
12:00 – Abertura do certame
16:00 – Atuação da Orquestra Juvenil da Escola de Música da Banda União
17:00 – Atuação do Grupo de Cavaquinhos de Estremoz
22:00 – Atuação do grupo de música tradicional portuguesa D’Empreitada
23:30 – Discoteca e bares (Pavilhão A)
SÁBADO – 2 DE DEZEMBRO
11:00 – Caminhada dos Ganhões, na Rota do Boneco de Estremoz, dinamizada por alunas da Academia Sénior de Estremoz
12:00 – Abertura do certame
16:00 – Atuação do Grupo Folclórico A Convenção de Évora Monte
17:00 – Atuação do Rancho Folclórico Rosas de Maio de Veiros
22:00 – Espetáculo com Vira Milho
23:30 – Discoteca e bares (Pavilhão A)
DOMINGO – 3 DE DEZEMBRO
08:00 – Rota dos Ganhões em BTT – organização SDT Estremoz
12:00 – Abertura do certame
16:00 – Atuação do Rancho Folclórico As Azeitoneiras de S. Bento do Cortiço
17:00 – Espetáculo com a Tuna da Universidade Sénior da Santa Casa da Misericórdia de Borba
20:00 – Encerramento do certame

14.11.17

OPINIÃO: A austeridade nunca chegou aqui

No início de outubro a ERSE propunha, pela primeira vez em 17 anos, uma descida de 0,2% no preço da eletricidade em Portugal. No final desse mesmo mês os representantes da Endesa (multinacional elétrica) e das empresas do setor renovável (APREN) acusavam a secretaria de Estado da Energia de estar refém do Bloco de Esquerda. Não são coincidências.
O embaratecimento da energia em 2018 é o resultado da ação do Parlamento e do Governo e do efeito de propostas negociadas com o Bloco de Esquerda para reduzir as rendas das empresas de energia. E para que os preços voltem a descer no futuro, mais rendas terão de ser cortadas. É essa a verdadeira razão do incómodo, tanto das grandes empresas do setor - como a Endesa - como dos seus representantes - como a APREN -, que estão pouco habituados a que se lhes faça frente.
Para estas empresas, a vida antes de 2015 era mais fácil. O Governo de PSD e CDS falava grosso contra as rendas mas, ao contrário da austeridade, bem sentida pelo povo, os cortes na energia eram só mesmo para troika ver. Dois exemplos bastam para provar que assim é.
A CESE - Contribuição Extraordinária sobre o Setor Energético - entrou em vigor em 2014, e foi apresentada pelo Governo de PSD/CDS como um exemplo da "austeridade ética". As boas intenções duraram pouco e o Programa de Estabilidade para 2015-2019 previa o fim da CESE logo em 2017. A mesma pressa não se aplicava, no entanto, à reversão dos cortes salariais na Função Pública ou da sobretaxa. Interessante foi verificar que, mesmo na sexta-feira antes das eleições de 2015, e não fosse o diabo tecê-las, o então secretário de Estado da Energia fez publicar um despacho em que permitia às empresas de energia repercutir a CESE na fatura paga pelos clientes. Foram cerca de dezenas de milhões cobrados a mais, de forma ilegal, e que agora se exige que as empresas devolvam.
Pela mesma altura, em 2013, eram anunciadas, várias vezes e com pompa, poupanças nas rendas da energia. Na verdade, só uma parte da história é que estava a ser contada. É que, em troca de um pagamento à cabeça, o Ministério de Moreira da Silva estendeu os subsídios leoninos pagos à produção eólica durante mais sete anos. Ou seja, o Governo anterior pediu um empréstimo encapotado às produtoras de energia, condenando os consumidores a pagá-lo em rendas até 2027. O regime era voluntário e foi imediatamente aceite pelas empresas, o que seria estranho se se tratasse de uma verdadeira "contribuição". Pelo contrário, estima-se que a "poupança" venha a custar, afinal, 800 milhões de euros.
Se, no caso da CESE, as empresas foram já obrigadas a devolver o que cobraram a mais, no caso da subsidiação acrescida, é ainda preciso corrigir o abuso. Não admira, pois, que os beneficiários das rendas da energia queiram condicionar a ação do Governo nesta área. O seu ataque é a prova de que a persistência do Bloco vale a pena.
Mariana Mortágua in "Jornal de Notícias" - 14/11/2017

ELVAS: Detido em flagrante delito por furto em residência

O Comando Territorial de Portalegre, através do Posto Territorial de Elvas, no dia 12 de novembro, naquela localidade, deteve em flagrante delito um homem, de 27 anos, por furto em interior de residência.
Os militares foram alertados pela vítima, tendo esta solicitado o auxílio da GNR, por estar a decorrer um furto na sua residência. Devido à rápida intervenção dos militares, o indivíduo foi detido em flagrante delito, tendo já na sua posse algumas mobílias e objetos de coleção. Foram apreendidas diversas cadeiras e cadeirões, cinzeiros de pé alto e peças de fardamento militar, entretanto restituídas ao seu legítimo proprietário.
Para além dos bens, foi também apreendida a viatura utilizada no furto e várias ferramentas utilizadas na prática do crime.
O detido, já com antecedentes criminais pelo mesmo crime, foi constituído arguido e ficou sujeito a termo de identidade e residência.

13.11.17

POESIA POPULAR: As Fontes de Amieira do Tejo

As Fontes de Amieira do Tejo (1984)
Amieira do Tejo é terra ideal
Cercada por vários montes
Tem água pura, fresca e natural
Nas suas belíssimas fontes

Por cima da Ponte do Rio junto à Ribeira
Com duas bicas de metal
Está uma fonte de primeira
Chamada a Fonte da Cal

Quer seja para encher uma bilha
Ou mesmo até um barril
Está uma fonte, que maravilha!
Que é a Fonte de Álvaro Gil.

E para abrir o apetite
E comer mais um bocadinho
Aquele que não acredite
Vá à Fonte de Estanquinho.

E na Estrada do Tejo
Na curva furtada ao vento
Sempre que lá passo a vejo
A da Tapada do Bento.

Para não pesar na barriga
E ficar que nem um lorde
Não há melhor: há quem diga
Que a água da Vinha de Ordem

Há uma que já não tem valor
E quem lá passa tira a prova
Junto à estrada de Vila Flor
Está também a Fonte Nova.

 Esta uma fonte desprezada
Mas muito antiga em Amieira
Devia ser arranjada
A velha Fonte Romeira
João de Matos Rico (1984)
Fonte da Cal - Foto de Armando Gaspar